viernes, 10 de agosto de 2012

Flamenco emociona e faz bem ao corpo

Os pés golpeiam o chão, alternando passos vigorosos e sutis. As palmas marcam o compasso e enchem de vida cada passo. No rosto da bailarina, a dor ou a alegria da guitarra e da voz do "cantaor". Ela acelera o ritmo e os músicos a seguem. Em um movimento forte, ela finaliza. Silêncio no público. Aos poucos, os aplausos começam e vão se intensificando.
Não é preciso entender de flamenco para se emocionar em uma apresentação. Mesmo quem nunca pisou na Espanha fica tocado quando está diante de um bom espetáculo. Além de sensibilizar, essa dança faz bem ao corpo.

Quem está querendo aumentar o fôlego e ter pernas bem torneadas pode apostar no flamenco. Os passos fortalecem os músculos das panturrilhas e coxas e melhoram a capacidade aeróbica. A postura no dia-a-dia também é aprimorada pela dança. A mobilidade, agilidade e consciência corporal ficam mais desenvolvidas.
Mas os benefícios do flamenco estão muito mais na mente e no coração do que no corpo. Quem se entrega a essa dança definitivamente não é daquelas pessoas que só pensa em ter um físico sarado de praticantes de musculação. Ela quer ter contato com uma arte viva que desenvolva ritmo e expressão de emoções. Por isso, pode ser indicado para os estressados que querem algumas horas por semana para se desligar das obrigações diárias.
Nas aulas, o aluno aprende mais que passos e coreografias. Ele desenvolve a parte rítmica. Aprende compassos, estruturas de cada ritmo e compreende que ele é parte da música. Uma palma fora do tempo, por exemplo, compromete a qualidade da apresentação e atrapalha os músicos. Por isso, quem tem "bom ouvido" tem mais facilidade.
Foto: Kris Rosa

"Um aluno de vida sedentária mas com facilidade rítmica pode ter um bom resultado frente a outro que desenvolve uma atividade física qualquer mas tem grande dificuldade rítmica", afirma Andrea Guelpa, professora e diretora da companhia de dança Triana Flamenca. "Isso pode assustar um pouco, mas o flamenco é muito envolvente. Quando há identificação, o aluno, sem perceber, passa a curtir e a entender a música, tornando esse estudo extremamente prazeroso."

Democrática e sedutora
Ao contrário de algumas danças que privilegiam apenas adolescentes esquálidas, o flamenco pode ser praticado por qualquer um. É comum ver mulheres com mais de 30 anos se dedicando às aulas. "Como forma de lazer e de atividade física, pode ser praticado por todas as idades e biotipos. Claro que o resultado é proporcional à condição e facilidades físicas de cada um", explica Andrea.
Outra característica do flamenco é a fama de dança sedutora. Os movimentos e a expressão da bailarina a deixam com ar de mulher forte e segura de si. "O flamenco trabalha a autoconfiança, permite a desinibição de gestos expressivos, a liberação da tensão do dia-a-dia e a busca de possibilidades de expressar sentimentos." 

Fonte: http://saude.terra.com.br